sábado, 27 de dezembro de 2014

O que Deus tem preparado para aqueles que o amam

I Coríntios 2.9:

“Todavia, como está escrito: nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou no coração do homem, as coisas que Deus tem preparado para aqueles que o amam.”

Este versículo nos remete a algo extraordinariamente bom. Algo que nós nunca imaginamos ou pensamos que poderia acontecer ou até mesmo existir. As melhores coisas que um homem já experimentou ou viveu.

Algumas vezes vemos esse versículo sendo aplicado de forma prática em mensagens que pregam a prosperidade nesta vida através de bens materiais que o Cristão sequer imaginou que iria receber de Deus. Uma BMW do ano, uma casa luxuosa no condomínio de luxo mais caro da cidade, uma ilha particular com um jatinho particular para passar os finais de semana, são uma das coisas que atiçam o coração consumista do homem e que são usados como exemplo de fé para o crente.
Outras vezes vemos esse versículo sendo pregado como aquilo que, aqueles que se arrependeram nesta vida e entregaram as suas vidas ao Senhor Jesus, vão presenciar quando estiverem com Ele nos céus. É fato que a nossa vida no paraíso será infinitamente melhor do que a vida que vivemos hoje neste mundo corrompido pelo pecado. Mansões celestiais, ruas de ouro, grandes muros de pedras preciosas, são coisas que aqueles que viveram com Deus vão experimentar quando estiverem na glória.

Uma vida próspera materialmente nesta vida ou a esperança de uma vida melhor na eternidade são motivos mais que razoáveis para se aplicar o versículo 9 de I Coríntio cap. 2. Entretanto, nós devemos antes de tudo, aplicar este versículo naquilo que ele realmente quis contextualizar. Se lermos o versículo 10 – “mas Deus as revelou a nós por meio do Espírito” – iremos entender que aquilo que nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou no coração do homem já foi revelado através do Espírito de Deus para aqueles que o amam: a revelação de Cristo através do Evangelho. E se Deus já revelou é por que é pra ser vivido agora!

O que Deus preparou?

No início deste capítulo, Paulo lembrou aos cristãos de Corinto que na sua primeira visita a Corinto, ele não tentou convencê-los da verdade do Evangelho usando a sabedoria humana, ou "eloquência sábia e convincente". Em vez disso, ele disse:

"Pois decidi nada saber entre vocês, a não ser Jesus Cristo, e este, crucificado." (I Coríntios 2.2)

Aquilo que o apóstolo Paulo se refere em particular e que foi revelado pelo Espírito de Deus é a sabedoria do Evangelho através da cruz de Cristo.

Notamos que, quando Paulo disse: "como está escrito", foi provavelmente citando Isaías 64.4 quando o povo de Israel se encontrava em meio à escravidão babilônica:

“Desde os tempos antigos ninguém ouviu, nenhum ouvido percebeu, e olho nenhum viu outro Deus, além de ti, que trabalha para aqueles que nele esperam.”

O texto de Isaías 64 está inserido numa visão profética acerca da escravidão do povo de Israel frente ao exílio Babilônico. Deus então promete salvar seu povo do jugo da escravidão e cumpre isso em sua totalidade quando revela a Cristo como salvador da humanidade da escravidão do pecado. Hoje temos essa revelação e é preciso que o homem aceite o sacrifício expiatório de Cristo para tomar posse de todas as coisas maravilhosas que a morte e ressurreição de Cristo trouxeram ao homem.

Uma vida plena com Deus é tudo que foi conquistado na cruz do Calvário:

1. Ele nos trouxe a salvação. Jesus nos trouxe a possibilidade de passar a vida eterna em comunhão com Deus, algo que foi perdido por causa do pecado no Jardim do Éden. Entretanto a salvação não é apenas um estado pós-morte, mas é algo para ser vivido em vida, nesta vida.
2. Misericórdia e Graça de Deus. Misericórdia: poupar daquilo que merecemos receber. Por exemplo, quando uma pessoa que confessa seus crimes hediondos e tem a sua sentença declarada pelo júri como pena de morte. Mas ao invés de acatar a sentença do júri, o Juiz decide poupar aquele réu da morte declarando inocente, mesmo ele merecidamente. Graça: é dar aquilo que não merecemos receber. Efésios 2.8-9: “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vocês é dom de Deus.”. O homem não merecia receber de Deus novamente a oportunidade de viver em comunhão com o Criador. Mas foi o próprio Deus que, em Sua graça, tomou a iniciativa de providenciar a salvação para o homem após a queda de Adão no pecado.
3. Ele levou sobre si as nossas dores e enfermidades (Isaías 53.4). Apesar do capítulo 53 de Isaías ter muita mais uma aplicação espiritual, ele também pode ser aplicado dentro de um contexto físico. Obviamente que o sentido aqui não é que, depois de salvos não iremos mais adoecer, ou se estamos doentes é por que estamos em pecado ou estamos com uma “pequena fé” para ser curado, como alguns pregam por aí. Mas de que o sacrifício de Jesus na cruz nos traz a plenitude da nossa vida física, livre de doenças e enfermidades, e que temos em Cristo, a restauração da nossa saúde. Se o sofrimento entrou no mundo por causa do pecado (Gênesis 3.17-19), e até a morte física se tornou uma consequência da transgressão do homem (I Coríntios 15.21-22), nós temos que crer também Jesus dará uma vitória total sobre a dor desta vida. Mateus 8.16,17 usa as curas físicas realizadas por Jesus como evidências do seu papel como o verdadeiro Messias e Salvador. Jesus também nos trouxe a cura interior, uma vez que pela obra da cruz Ele sofreu o castigo que nos traz a paz e sarou, assim, nossas feridas de alma – o profeta Isaías diz: “O castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados” (Isaías 53.5).
4. Ele também levou sobre si as maldições da lei. A Bíblia diz que “Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se ele próprio maldição em nosso lugar” (Gálatas 3.13). A lei de Deus é perfeita; ela reflete o Santo caráter de Deus; não há problema nenhum com a lei de Deus. O problema está conosco, pecadores, que não conseguimos cumprir a lei de Deus. Que infringimos a lei e, por causa disso, ela revela o nosso crime, a nossa sua transgressão. A lei condena à morte o infrator, essa é a maldição da lei. Entretanto, por causa daquilo que Deus já preparou através do sacrifício de Cristo, hoje estamos livres das maldiçoes da lei. Por que só Jesus pode nos resgatar da maldição da lei?
o   Jesus se tornou infrator sem infringir nenhuma lei. “Deus tornou pecado por nós aquele que não tinha pecado, para que nele nos tornássemos justiça de Deus.” (2 Coríntios 5.21)
o   Jesus se tornou criminoso sem ter cometido nenhum crime.
o   Jesus se tornou condenado à morte sem ter nenhum motivo para morrer.
5. Uma completa justificação, regeneração, redenção e santificação da vida do homem.
6. Paz, a alegria e a justiça no Espírito Santo: “Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo.” (Rm 14.17).

Deus quer dar ao seu povo, aqueles que nele esperam, aqueles que o amam, as bênçãos que não podem ser totalmente percebidas pelos sentidos humanos, nem mesmo pela imaginação humana: uma vida plena em Cristo Jesus. E só vamos conseguir viver isso em nossas vidas se entregarmos nossas vidas completamente a Ele. Desde o tempo em que nos arrependemos e confessamos a Jesus como Senhor e Salvador, Jesus não passou a ser tudo que precisamos, mas tudo que temos.

Para quem Deus tem preparado?

No entanto, precisamos lembrar que a promessa por essas bênçãos, que se inserem
fora dos sentidos e da imaginação humana, é reservada para um povo em particular: aqueles que o amam.

Os maiores homens da Bíblia entenderam o que Moisés disse: "Saberás, pois, que o SENHOR teu Deus, ele é Deus, o Deus fiel, que guarda a aliança e a misericórdia até mil gerações aos que o amam e guardam os seus mandamentos”. (Deuteronômio 7.9)

Uma das grandes mulheres da Bíblia, Débora, incluiu estas palavras em seu canto de
louvar: "Que os que te amam sejam como o sol quando se levanta na sua força." (Juízes 5.31)

O salmista declarou: "O Senhor cuida de todos os que o amam." (Salmos 145.20)
"E sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito" (Romanos 8.28)

Tiago nos deixou com duas promessas: "Bem aventurado o homem que resiste a tentação; para quando for provado receberá a coroa da vida, que o Senhor prometeu aos que o amam." (Tiago 1.12)
"Ouvi, meus amados irmãos: Porventura não escolheu Deus aos pobres deste mundo para serem ricos na fé, e herdeiros do reino que prometeu aos que o amam?" (Tiago 2:5)

Em toda a Bíblia ouvimos a mesma mensagem: uma promessa de bênçãos especiais para serem recebidas nesta vida, e em seguida, na próxima, todas com a mesma condição simples: essas bênçãos estão disponíveis para "aqueles que o amam".

Os que o amam são aqueles que permanecem em Cristo

Se o versículo 9 de I Coríntios 2, escrito por Paulo, era pelo menos uma paráfrase de Isaías 64.4, então podemos encontrar lá uma melhor compreensão do que significa "amam". Em Isaías, a palavra é "esperar", que propriamente significa "permanecer". Isto nos lembra o que Jesus ensinou em João 15.4,5:

“Permaneçam em mim, e eu permanecerei em vocês. Nenhum ramo pode dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira. Vocês também não podem dar fruto, se não permanecerem em mim. Eu sou a videira; vocês são os ramos. Se alguém permanecer em mim e eu nele, esse dará muito fruto; pois sem mim vocês não podem fazer coisa alguma.”