sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Estabelecendo o Kairós de Deus


Eclesiastes 3.1-11
1 Para tudo há uma ocasião certa; há um tempo certo para cada propósito debaixo do céu: 2 Tempo de nascer e tempo de morrer, tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou, 3 tempo de matar e tempo de curar, tempo de derrubar e tempo de construir, 4 tempo de chorar e tempo de rir, tempo de prantear e tempo de dançar, 5 tempo de espalhar pedras e tempo de ajuntá-las, tempo de abraçar e tempo de se conter, 6 tempo de procurar e tempo de desistir, tempo de guardar e tempo de jogar fora, 7 tempo de rasgar e tempo de costurar, tempo de calar e tempo de falar, 8 tempo de amar e tempo de odiar, tempo de lutar e tempo de viver em paz. 9 O que ganha o trabalhador com todo o seu esforço? 10 Tenho visto o fardo que Deus impôs aos homens. 11 Ele fez tudo apropriado ao seu tempo. Também pôs no coração do homem o anseio pela eternidade; mesmo assim ele não consegue compreender inteiramente o que Deus fez.
Tempo é algo fundamental. O tempo controla a nossa vida (se bem que na verdade, o certo deveria ser a nossa vida controlando o tempo!). Ninguém consegue viver bem a sua vida, se não souber lidar com o tempo. O tempo é algo determinante. Sem ele, estamos sem tempo pra tudo. O mundo capitalista diz que “tempo é dinheiro”. O sábio conclui que tempo, dinheiro e saúde (disposição) são coisas que nunca teremos ao mesmo tempo (quando se é jovem, se tem tempo e disposição, mas não se tem dinheiro; quando nos tornamos adultos, temos disposição, podemos ter algum dinheiro, mas dificilmente teremos tempo; quando nos tornamos velhos, temos tempo, podemos ter dinheiro, mas dificilmente teremos disposição).
O tempo é tão importante para a vida do ser humano que ele foi o primeiro dom da Criação. Quando Deus diz “Haja luz, e houve luz” e “... tarde e manhã e dia” (Gênesis cap. 1.3, 5), Deus está estabelecendo os tempos.
Além disso, Deus mostra a importância do tempo quando nos deixa um capítulo inteiro em Sua Palavra para falar acerca do tempo. O capítulo 3 de Eclesiastes começa falando que há tempo para tudo, e um tempo para cada propósito debaixo do céu. Que há tempo para plantar, tempo para colher; tempo para chorar e tempo para se alegrar; tempo de falar e tempo de calar; tempo de viver e tempo de morrer; tempo de amar e até tempo de odiar.
Chronos X Kairós
Na Bíblia temos duas palavras que significam tempo: Chronos e Kairós. Chronos é uma palavra grega que significa tempo sequencial, tempo cronológico. É a hora que é marcada no seu relógio, é uma data na agenda do seu Smartphone, é a data do seu aniversário, casamento. Chronos também significa espaço ou intervalo de tempo. Encontramos Chronos em textos como:
  • Lucas 20.9: o dono da vinha ausentou-se do país por muito tempo
  • João 5.6: o paralítico que estivera doente havia muito tempo
  • Atos 8.11: Simão, o mágico, desde muito tempo iludira os samaritanos com suas artes
  • Atos 13.18: Deus suportou os costumes do povo de Israel no deserto por espaço de quarenta anos.

Kairós significa uma ocasião especial, um tempo determinado, ou uma oportunidade. É um tempo dentro do Chronos onde acontece algo muito importante. Um momento certo dentro do Chronos.
  • Atos 17.26: E de um só sangue fez toda a geração dos homens, para habitar sobre toda a face da terra, determinando os tempos já dantes ordenados.
  • Marcos 1.15: Jesus declara que o tempo (Kairós) estava cumprido.

No meio de todo o espaço de tempo que vai passando, existem na história da humanidade como um todo, momentos específicos que Deus já predeterminou como épocas especiais, épocas de mudanças, épocas que abrem novas etapas no desenvolvimento do seu plano na terra. Este é o significado de Kairós: é um momento decisivo dentro do tempo, uma ocasião especial, em que grandes coisas podem acontecer.
O Kairós de Deus
Existe um Kairós específico dentro da vida do ser humano que é o Kairós de Deus. O Kairós de Deus é quando Deus invade o Chronos e estabelece o seu propósito nele. É quando tudo na vida do ser humano começa a fazer sentido. Deus estabelece o seu Kairós através do cumprimento das promessas que um dia Deus fez a mim e a você.
Mas precisamos entender algo: toda promessa que Deus faz vai percorrer um tempo cronológico (Chronos) até que ela se cumpra no tempo determinado por Deus (Kairós). Não importa quanto tempo essa promessa demore a se cumprir, ela se cumprirá no tempo específico de Deus.
Eclesiastes 3.1: “Para tudo há uma ocasião certa; há um tempo certo para cada propósito debaixo do céu.”
Eclesiastes 3.11: “Ele fez tudo apropriado ao seu tempo.”
Gálatas 4.4: “Quando, porém, chegou a plenitude do tempo, enviou Deus o seu Filho, nascido de uma mulher, nascido sob a Lei.”
  • Veja as promessas na vida de Davi, que demorou 10 anos para se tornar rei após ser ungido por Samuel;
  • Ou na vida de José, que viu o seu sonho cumprido e se tornou governador do Egito após ter sido vendido como escravo e preso;
  • Ou na vida de Josué, que saiu do Egito, passou 40 anos no deserto, e entrou na terra prometida.
  • Ou mesmo a de Calebe que esperou 45 anos para que a terra de Hebrom fosse dada a ele por Josué após a promessa de Deus. Josué 14.11,12: "E, ainda hoje, estou tão forte como no dia em que Moisés me enviou; qual a minha força então era, tal é agora a minha força, para a guerra, e para sair, e para entrar. Agora, pois, dá-me este monte de que o SENHOR falou aquele dia.”

Se Deus falou com algo você, continue vivendo o seu dia a dia, continue vivendo a sua rotina, o seu Chronos, mas alimente a esperança dessa promessa, por que chagará o tempo em que o Kairós de Deus vai ser manifestado em sua vida.
II Pedro 3.9: "O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se.”
Quando é o Kairós de Deus em nossas vidas
Nesse mundo competitivo vemos por aí que precisamos criar as nossas próprias oportunidades, e ir atrás de nossos alvos com determinação. Isso é uma verdade. Entretanto, nós, os que entregamos as nossas vidas a Deus, não podemos nos esquecer, que agora o nosso Kairós tem que se submeter ao Kairós de Deus. Não podemos de forma alguma perder a maior lição deste conceito de Kairós: a nossa dependência da ação divina para entrarmos de fato no momento de oportunidade e de progresso de acordo com o plano de Deus para a nossa vida, família, ministério, etc. Jesus certa vez discutiu com seus irmãos exatamente sobre isto. A questão era a Festa dos Tabernáculos, e os irmãos naturais de Jesus, num tom aparentemente de sarcasmo, estavam dizendo que ele deveria subir a Jerusalém para fazer sucesso e se tornar conhecido. Era um momento de oportunidade, e segundo eles, dependia só de Jesus tirar proveito dele. A resposta de Jesus foi sobre a diferença entre seu Kairós e o Kairós de quem é dono da sua própria vida. “O meu tempo (Kairós) ainda não chegou”, ele disse; “o vosso, porém, sempre está pronto” (João 7.1-8). A mesma coisa ocorreu no casamento de Caná quando Jesus responde a Maria, sua mãe: "Que tenho eu contigo, mulher? ainda não é chegada a minha hora." (João 2.4), como uma forma de dizer que a vontade de Jesus não dependia do tempo dos homens, mas do tempo de Deus.
O papel do Espírito Santo no Kairós de Deus
Mateus 1.18-25
18 Foi assim o nascimento de Jesus Cristo: Maria, sua mãe, estava prometida em casamento a José, mas, antes que se unissem, achou-se grávida pelo Espírito Santo. 19 Por ser José, seu marido, um homem justo, e não querendo expô-la à desonra pública, pretendia anular o casamento secretamente. 20 Mas, depois de ter pensado nisso, apareceu-lhe um anjo do Senhor em sonho e disse: “José, filho de Davi, não tema receber Maria como sua esposa, pois o que nela foi gerado procede do Espírito Santo. 21 Ela dará à luz um filho, e você deverá dar-lhe o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos seus pecados”. 22 Tudo isso aconteceu para que se cumprisse o que o Senhor dissera pelo profeta: 23 “A virgem ficará grávida e dará à luz um filho, e lhe chamarão Emanuel”, que significa “Deus conosco”. 24 Ao acordar, José fez o que o anjo do Senhor lhe tinha ordenado e recebeu Maria como sua esposa. 25 Mas não teve relações com ela enquanto ela não deu à luz um filho. E ele lhe pôs o nome de Jesus.
Deus chama José e Maria – em seu tempo Kairós – para serem os pais de Jesus. José e Maria então aceitam participar desse propósito de Deus, estabelecendo o Kairós nas vidas deles justamente por que o Espírito Santo já tinha começado uma obra em suas vidas. O Espírito Santo tinha passado anos e anos trabalhando na obediência e fidelidade de Maria, e na justiça de José. Dentro do Kairós de Deus, o Espírito Santo age para disponibilizar as nossas vidas para o Pai celeste de forma que quando o Kairós de Deus chegar, nós estejamos prontos para discernir este tempo e aceitar este propósito. Ele trabalha em nós de forma que quando o Pai precise de nós (no tempo Kairós), estejamos prontos para o Pai.
Em Lucas 19.41-44, vemos Jesus chorando sobre Jerusalém. Há apenas dois momentos em que a Bíblia registra que Jesus chora: um é de tristeza humana quando da morte de Lázaro; o outro é um choro profético por causa da cidade Jerusalém. Vê que ela não tem a paz que realmente importa: A paz de Deus. Vê a cidade cega e surda: Ela vê, mas não enxerga, ela ouve, mas não escuta. Ela foi visitada por Deus — e não conheceu o tempo de sua visitação. A cidade procura tapar a sua miséria, a sua injustiça oculta com cerimônias no templo e com gritos de “hosana”, com “vivas” dadas ao homem da Galileia que gostariam de ver como rei, como libertador político. Mas a cidade, em realidade não sabe o que está acontecendo. Não conhece a hora (o Kairós) em que Deus chegou tão perto deles que podiam tocá-lo com as mãos. Para conhecê-lo, ela deveria mostrar sua miséria, deveria, igual a Nínive, confessar os seus pecados. Para conhecer, deveria aceitar o evangelho.
“Quando ia chegando, vendo a cidade, chorou sobre ela, dizendo: Ah! se tu conhecesses, ao menos neste teu dia, o que à tua paz pertence! Mas agora isso está encoberto aos teus olhos. Dias virão sobre ti em que os teus inimigos te cercarão de trincheiras, e te sitiarão, e te apertarão de todos os lados. Derrubar-te-ão, a ti e a teus filhos que dentro de ti estiverem. Não deixarão em ti pedra sobre pedra, porque não reconheceste o tempo da tua visitação.”
Aproveite a oportunidade (Amyr Klink)
Já ancorado na Antártida, ouvi ruídos que pareciam de fritura. Pensei: será que até aqui existem chineses fritando pastéis? Eram cristais de água doce congelada que faziam aquele som quando entravam em contato com a água salgada. O efeito visual era belíssimo. Pensei em fotografar, mas falei para mim mesmo: Calma, você terá muito tempo para isso... Nos 365 dias que se seguiram, o fenômeno não se repetiu. Algumas oportunidades são únicas.

Como diz o sábio: “só existem dois dias no ano em que nada pode ser feito. Um se chama ONTEM e o outro AMANHÔ. Portanto HOJE é o dia certo para AMAR, FAZER, VIVER e principalmente CRER.